Amor verdadeiro e Castidade

30 01-2013
Amor verdadeiro e Castidade

23643966765368492_qjfDlQX7_c“Tanto o amor virginal como o amor conjugal que são, como diremos mais adiante, as duas formas pelas quais se realiza a vocação da pessoa ao amor, requerem para o seu desenvolvimento o empenho em viver a castidade, para cada um conforme ao próprio estado. A sexualidade — como diz o Catecismo da Igreja Católica — « torna-se pessoal e verdadeiramente humana quando integrada na relação de pessoa a pessoa, no dom mútuo, por inteiro e temporalmente ilimitado, do homem e da mulher ». É óbvio que o crescimento no amor, enquanto implica o dom sincero de si, é ajudado pela disciplina dos sentimentos, das paixões e dos afectos que nos faz chegar ao autodomínio. Ninguém pode dar aquilo que não possui: se a pessoa não é senhora de si — por meio da virtude e, concretamente, da castidade — falta-lhe aquele autodomínio que a torna capaz de se dar. A castidade é a energia espiritual que liberta o amor do egoísmo e da agressividade. Na medida em que, no ser humano, a castidade enfraquece, nessa mesma medida o seu amor se torna progressivamente egoísta, isto é, a satisfação de um desejo de prazer e já não dom de si.”

Fonte: “Sexualidade Humana: verdades e significados.”

Related article

  • 08 09-2017
    Pais do Papa se conheceram por um aviso no jornal
    • Namoro
    • Comentários desativados em Pais do Papa se conheceram por um aviso no jornal

    Deus sempre se vale de diversos meios para unir as pessoas com vocação ao matrimônio. E assim como a Internet é agora para muitos um espaço no qual é possível encontrar a pessoa com a…

    Read more...
  • 12 07-2016
    Desculpe, seu Namoro tem Tudo pra dar Errado
    • Namoro
    • Comentários desativados em Desculpe, seu Namoro tem Tudo pra dar Errado

    Desculpe te informar, mas o seu namoro tem tudo pra dar errado. E quem afirma isso não sou eu, mas os números: somente 2,6% dos casamentos duram mais que 40 anos. Sabe qual a possibilidade…

    Read more...
  • 08 04-2016
    Amoris Laetitia

    Apenas trecho deste belíssimo Documento que pode ser lido na íntegra clicando aqui.  124. Um amor frágil ou enfermiço, incapaz de aceitar o matrimônio como um desafio que exige lutar, renascer, reinventar-se e recomeçar sempre de…

    Read more...