Carta do Papa às Famílias

11 06-2012
Carta do Papa às Famílias

A Carta às Famílias do Papa João Paulo II é um tesouro escondido. Nela, o Papa analisa a sociedade atual e oferece uma luz. A solução estaria em redescobrir o “grande mistério” que foi revelado para nós na doação total do Esposo, Nosso Senhor Jesus Cristo. A partir do seu Amor, reconheceremos que somente a união estável, fiel, livre e fecunda de um homem e uma mulher pode transformar a nossa cultura da morte em Cultura da Vida. Casais que tenham assim plena consciência do que significa o sagrado matrimônio e por tanto, a constituição de uma família são os protagonistas, silenciosos, de uma verdadeira revolução do amor. Com certeza vale a pena ler toda a carta, aqui alguns trechos:

“A separação entre espírito e corpo no homem teve como consequência a afirmação da tendência a tratar o corpo humano não segundo as categorias da sua específica semelhança com Deus, mas segundo aquelas da sua semelhança com todos os outros corpos presentes na natureza, corpos que o homem utiliza como material para a sua actividade destinada à produção de bens de consumo.

Mas facilmente todos se podem dar conta de quanto a aplicação ao homem de tais critérios esconda realmente enormes perigos. Quando o corpo humano, considerado independentemente do espírito e do pensamento, é utilizado como material ao mesmo nível do corpo dos animais, – como sucede, por exemplo, nas manipulações sobre os embriões e os fetos – inevitavelmente caminha-se para um terrível descalabro ético.

Numa tal perspectiva antropológica, a família humana está a viver a experiência de um novo maniqueísmo, no qual o corpo e o espírito são radicalmente contrapostos entre si: nem o corpo vive do espírito, nem o espírito vivifica o corpo. Assim o homem deixa de viver como pessoa e sujeito. Apesar das intenções e declarações em contrário, torna-se exclusivamente um objeto. Assim, por exemplo, esta civilização neo-maniqueísta leva a olhar a sexualidade humana mais como um campo de manipulação e desfrutamento, do que a olhá-la como a realidade geradora daquele assombro primordial que, na manhã da criação, impele Adão a exclamar à vista de Eva: «É carne da minha carne e osso dos meus ossos» (cf. Gn 2, 23). É o mesmo assombro que ecoa nas palavras do Cântico dos Cânticos: «Arrebataste o meu coração, minha irmã, minha esposa! Arrebataste o meu coração com um só dos teus olhares» (Ct 4, 9). Como estão distantes certas concepções modernas da profunda compreensão da masculinidade e da feminilidade oferecida pela Revelação divina! Esta leva-nos a descobrir na sexualidade humana uma riqueza da pessoa, que encontra a sua verdadeira valorização na família e exprime a sua vocação profunda mesmo na virgindade e no celibato pelo Reino de Deus.”

Related article

  • 30 05-2017
    Discursos aos recém casados – Papa Pio XII
    • Família
    • Comentários desativados em Discursos aos recém casados – Papa Pio XII

    Com alegria disponibilizamos os Discursos do Santo Papa Pio XII aos recém casados. Estão em espanhol mas esperamos que muitas famílias possam encontrar neles as luzes para trilhar o caminho de santidade como ecclesia domestica!…

    Read more...
  • 23 10-2016
    Do trabalho fora do lar para… dedicar-me integralmente ao nosso Lar!

    Por Sharlie Macente  A vida transcorria normalmente. Eu já havia passado pelos bancos escolares com muito sucesso. Já havia terminado a faculdade que eu escolhi. Já tinha voltado de um intercâmbio de 1 ano no…

    Read more...
  • 11 10-2016
    De Volta ao Lar – livro de Mary Pride
    • Família
    • Comentários desativados em De Volta ao Lar – livro de Mary Pride

    Clique aqui para baixar o livro De Volta ao Lar O livro da ex-feminista, Mary Pride, está celebrando 25 anos. Porém, é mais atual e necessário que nunca! Não deixe de ler e divulgá-lo! Por…

    Read more...